top of page
  • Foto do escritorGabriel Berger

Como evitar a perda de controle da motosserra ao desgalhar e seccionar a árvore.

Atualizado: 25 de fev. de 2023

É nessa etapa do trabalho que a equipe está mais suscetível a acidentes por fatores comportamentais e pela ação das forças reativas da motosserra.


Não é porque a árvore já está no chão que os perigos acabaram. A perda de controle da motosserra acontece, em especial, na hora de desgalhar e seccionar a árvore. Nessa etapa, as forças de reação atuam mais fortemente sobre a máquina, e o fator comportamental contribui para um aumento da taxa de acidentalidade.


Foto do engenheiro florestal gabriel berger fazendo o manejo da motosserra
Gabriel Berger operando de forma segura a motosserra

Nesse aspecto, destaco a pressa, o cansaço e a falta de atenção como as mais presentes na etapa de desgalhamento e seccionamento da árvore. Como essa é a última fase do trabalho, a equipe de manejo pode sofrer com o cansaço acumulado do dia ou turno de trabalho e com a pressa de ir para casa ou para cumprir metas de produtividade, o que causa a desatenção e a falta de foco na atividade.


A falta de um processo eficaz de trabalho contribui para essas situações, por exemplo: se a motosserra não estiver em condições máximas de rendimento, com a corrente bem afiada, potência compatível com o tipo de madeira e o porte da árvore manejada, o operador da máquina fará um esforço físico excessivo, contribuindo para o cansaço.


O uso de uma máquina não compatível com a atividade realizada pode ocasionar também um aumento no tempo de execução do trabalho, comprometendo a produtividade. Um bom planejamento, a técnica de manejo adequada e a habilidade da equipe são fundamentais para um trabalho seguro e produtivo.


Quando falamos em perder o controle da motosserra, podemos entender:

  • Perda de equilíbrio e queda com a máquina;

  • Motosserra escapando de uma das mãos;

  • Rebote da máquina;

  • Projeção de serragem e de lascas de madeira contra o rosto/olhos.


Isso pode acontecer, especialmente ao desgalhar e seccionar a árvore, devido à atuação das forças de reação da motosserra. Essas forças estão sempre presentes nesse trabalho, sendo impossível eliminá-las. O que podemos fazer é conhecê-las e saber como elas atuam para que possamos usá-las a nosso favor, promovendo um menor esforço físico, melhoria na qualidade do serviço e um ganho substancial de produtividade.


As 3 principais forças reativas que atuam sobre a motosserra são:


Gabriel berger cortando árvores com motosserra de forma segura

Tração: essa força está presente quando realizamos qualquer corte com a parte inferior do sabre. Nesse caso, pelo movimento da corrente em contato com a madeira a ser cortada, a tendência da máquina é ser puxada para a frente, em direção à madeira que está sendo manejada. Se o sabre da motosserra trancar na madeira ou entrar em contato com uma parte mais rígida ou dura, a tração será potencializada.


foto do gabriel berger utilizando a motosserra de forma segura e consciente

Repulsão: essa força está presente quando realizamos qualquer corte com a parte superior do sabre, no movimento de baixo para cima. Nessa situação, se a motosserra trancar ou encontrar uma parte mais rígida ou dura durante o corte, a tendência da máquina é ser empurrada para trás, em direção ao operador. É importante evitar esse corte em madeiras mais rígidas ou densas.


Gabriel berger demonstrando o rebote da motosserra

Rebote: essa força está presente quando cortamos com o quadrante ou ponta superior do sabre. A corrente, ao entrar em contato com a madeira, fará com que o conjunto de corte da máquina seja projetado de maneira muito rápida e com extrema violência em direção ao corpo do operador, principalmente no peito e na cabeça.


Para ter o controle sobre essas forças, é muito importante que o operador esteja atento e focado na atividade. Sempre segurar a máquina com as duas mãos, em hipótese alguma realizar o corte com a ponta superior do sabre. É importante que, ao manusear a motosserra, o operador fique à esquerda do conjunto de corte. E por fim, sempre que possível, ele deve utilizar a garra para firmar e apoiar a motosserra durante os cortes, pois dessa forma terá maior firmeza e estabilidade.


Construir um ambiente físico e emocional seguro para o manejo de árvores com motosserra envolve pensar o trabalho em todas as suas etapas e aplicar um processo claro e objetivo de execução da atividade, que garanta a confiança, o foco e o conhecimento por parte da equipe de manejo.



Veja mais vídeos sobre as forças que atuam na motosserra:




Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page